por Marcia David Poeta

17.4.13


Tento uma poesia.
Uma nota...
Uma letra de música...
Mas o silêncio é uma sina.
Perambula pela casa.
Ri da minha cara e me deixa pelo chão.
Sem nada.



4.4.13

Defesa

Tenho mil motivos pra te deixar pra trás. 
Apenas um pra te carregar comigo. 
Não sei se é forte o bastante. 
Se suportaria tudo. 
Mas eu carregaria no colo, se tivesse a certeza.

Tenho uma dúzia de sentimentos contrários. 
Apenas um a seu favor. 
Tudo é dúvida. 
Conselhos pra te largar por aí. 
Nada me guia, nenhuma luz, tudo é névoa. 
E vou me juntando, pedaço por pedaço. 
Recolhendo detalhes.

No escuro. Esbarrando em tudo. 
Nada se quebra. 
Mas não consigo montar esse quebra-cabeça. 
Peças de mim, de ti, do tempo que não sei se passa. 
Não sei quanto tempo ainda espero.

Tenho tantos e insuperáveis álibis. 
Que ninguém me condenaria. 
Nem você. No abandono. Até você concordaria.

Mas um único, senso, desvario, me cessa. 
Amor.


3.4.13

Urgente


Dói o pé de andar latente.
Dói o corpo de sentar horas de espera.
Dói a cabeça de pensar dias de saudade.
Dói a mão que não alcançou.
Deixou partir. Partiu. Voou.