por Marcia David Poeta

9.11.13

Volto ao Mar



Nem gosto tanto assim do mar.
Mas fico a admirar suas filhas.
Ele as deixa soltas. 
E elas vêm e vão só pra me agradar.
Sabem que eu gosto de olhar.
Tanto que me perco. 
E então viajo. 
Num barco branquinho, que balança bem devagar.
Também queria ser filha do mar.
Por isso mergulho. 
E esqueço-me do tempo.
O vento acorda os sonhos.
E eu volto a navegar.