por Marcia David Poeta

28.8.14

Sempre o Mar

(Foto: Marcia David)







Te Gosto (Marcia David Poeta)

Olhei pela janela e vi do que são feitos seus olhos.
Um mar de esmeraldas.
Um labirinto que me prende.
Vejo a criança, vejo a mulher, vejo o homem.
Tenho a sua diversidade marcada em mim.
Fogo que me acalma. Sede que se agrava e não durmo.
Deste tempo que não tive.
Daqui pra diante, seja o tempo que for, nem é muita coisa.
E reinvento, pelo meu querer, crio, anuncio.
Tenho liberdade poética.
Eu te entendo, você me entende.
Rimos uma da outra.

25.8.14

Sonho Surreal


Algumas das coisas mais belas que vi,
Sonhava. Perfilada pelas frestas,
Angustiava. Não podia tocar.
Só sentia cheiro.
Brotava água da língua exposta.
E o gosto do que não tocava.













(As mulheres surreais de Oleg Oprisco - fotógrafo ucraniano)

Quando a imagem é poesia

(foto: Marcia David. Tirada do terraço do Botafogo Praia Shopping - 2013)

19.8.14

Afetos

Cortina, bordados, trama. Lembranças coloridas de afetos passados. 
Desafetos do medo. Uma luz que se acende, uma delas se apaga. 
Bolhas espocam no palco e a plateia de boca aberta. 
Novos pensamentos e sentimentos recém-nascidos. 
Tudo é novo. Tudo brota. Tudo caminha.






3.8.14

Atalho


Tomo uns atalhos pela vida,
Que quando parece que achei, perdi.
Desvio dilacerado do mundo.
Agruras do amor que me arrebatam de mim